INFORMATIVO SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS


Publicado em: 14/03/2018 09:58 | Fonte/Agência: Prefeitura | Autor: Prefeitura

 

INFORMATIVO SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BALSA NOVA

VIGILÂNCIA SANITÁRIA, AMBIENTAL E EM SAÚDE DO TRABALHADOR

 

INFORMATIVO SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS

 

Considerando a ocorrência de animais peçonhentos, como cobras e escorpiões, em diversas regiões do município, a Vigilância Sanitária e Ambiental de Balsa Nova vem prestar alguns esclarecimentos e orientações à população.

 

As serpentes, também chamadas de cobras, possuem um mecanismo no corpo que adapta sua temperatura de acordo com a temperatura do meio ambiente. Portanto, em dias mais quentes elas ficam mais ativas e em dias frios elas tendem a ser mais preguiçosas.

Normalmente alimentam-se de pequenos roedores, mas algumas também se alimentam de ovos de aves e outros répteis. Assim sendo, este animal é importante para a cadeia alimentar, pois faz o controle de pragas, mantendo o equilíbrio do ambiente em que vive.

 

Os escorpiões são animais carnívoros, alimentando-se de insetos, como grilos e baratas, porém são capazes de permanecer longos períodos sem se alimentar. Têm hábitos noturnos e se escondem sob pedras, troncos, dormentes de linhas de trem, entulhos, telhas, tijolos, frestas de paredes, calçadas e muros.

 

            

 

Algumas espécies de escorpião são extremamente adaptadas a ambientes alterados pelo homem. Esses animais desempenham papel importante no equilíbrio ecológico como predadores de outros seres vivos, devendo ser preservados na natureza. Já na área urbana, medidas devem ser adotadas para que seja evitada sua proliferação. 

 

As aranhas também alimentam-se de insetos e de presas maiores, como pequenas lagartixas e rãs.

As “aranhas marrons” (Loxosceles sp) são muito comuns em Curitiba e Região Metropolitana. Não são agressivas, gostam de lugares escuros, quentes e secos. No ambiente externo, vivem debaixo de cascas de árvores, em folhas secas, em buracos, em telhas e tijolos empilhados, muros velhos, paredes de galinheiro e outros. Dentro das casas, ficam atrás de quadros, armários, entre livros, caixas de papelão e outros materiais que não são muito remexidos. As Loxosceles saem em busca de alimento à noite, e é neste momento que podem se esconder em roupas, toalhas, roupas de cama e calçados Importante lembrar que materiais de construção (como tijolos, telhas, lajotas, azulejos, madeiras) guardados também servem de abrigo para as aranhas.

 

MEDIDAS PREVENTIVAS

·        Acesso – por onde o animal entrou no ambiente

                              (frestas, vãos, buracos)

·        Abrigo – locais onde os animais podem se esconder

                               (atrás de móveis, entulhos, terrenos)

·        Alimento – varia de acordo com o animal

·        Água

 

É importante salientar que, para uma “praga” se estabelecer em um ambiente, são necessárias algumas condições ideais que podemos chamar de 4 As:

 

 

 

 

Cuidados básicos que devem ser adotados:

·         Verificar calçados, vestuários, roupas de cama e de banho antes de usá-los;

·         Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;

·         Reparar rodapés soltos e colocar telas milimétricas em janelas, aberturas de ralos, pias, tanques e aberturas de ventilação de porões;

·         Manter limpas as áreas ao redor de casa, quintais, paióis e plantações, eliminando montes de entulho, lixos doméstico e de construção civil, restos de alimentos e folhagens altas e fechadas. Essas medidas evitam a aproximação de ratos, insetos e outros animais que servem de alimentos para as cobras e escorpiões;

·         Remover periodicamente materiais de construção e lenha armazenados, evitando acúmulo exagerado;

·         Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros, e rebocá-los para que não apresentem vãos ou frestas;

·         Manter fossas sépticas bem vedadas para evitar a passagem de baratas e escorpiões;

·         Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados; 

·         Não colocar as mãos em buracos ocos de árvores ou vãos de pedras;

·         Utilizar botas de cano alto ou perneiras de couro quando for acessar áreas de risco, como matagais e plantações;

·         Nas colheitas (arroz, café, café, feijão, frutas, hortas, etc) é necessário verificar onde se colocam as mãos;

·         Preservar os inimigos naturais dos escorpiões (aves de hábitos noturnos, como corujas e joão-bobo, pequenos macacos, quati, lagartos, sapos e gansos; galinhas NÃO são eficientes agentes controladores de escorpiões), favorecendo a ação natural da cadeia alimentar;

·         Redobrar os cuidados e a atenção em épocas quentes, pois é quando esses animais são mais ativos e se reproduzem. 

 

Em caso de dúvidas, entre em contato com o Centro de Controle de Envenenamentos (0800 410148) ou com a Vigilância Ambiental do município.